Die Kolonie Santo Ângelo Zeitung
Copyright © 2000-2016 by Editora Werlang   •   All Rights reserved   •   www.werlang.de - www.coloniasantoangelo.com.br
Autor: William Werlang
Locução: Janice Hermes
O Jornal da Colônia Santo Ângelo
0082
< >
Archive.org    Blog    Twitter    CEW    Colônia Santo Ângelo    Linhagens    Links    Fale Conosco
Áudio 0082
      Altona, terra natal de João Gerdau.

    Aproveitando o diálogo, o Pastor Tüsmann se dirige para o jovem João e pergunta - Como era a sua terra natal, meu prezado amigo?

    Altona - responde João Gerdau - originalmente era uma colônia de pescadores do século XVI, localidade próxima Hamburgo, era chamada pelos moradores mais antigos, no antigo dialeto baixo alemão de "all to nah", demasiado perto, constituindo desde tempos imemoriais numa localidade independente de Hamburgo.

    Altona apresentava uma antiga tradição; fundições e funilarias que funcionavam paralelas aos antigos estaleiros das grandes companhias de navegação do século XIX. Evidentemente que eu aqui na Colônia Santo Ângelo foi seguir o mesmo ramo da fundição. - E digo mais - pretendo num futuro não muito distante ampliar os horizontes rumo a cidades maiores.
    - Fui batizado na velha St. Trinitatis, Igreja luterana de Altona. Era interessante observar, que na praça diante da bela igreja de St. Trinitatis, construída em 1744, todos os domingos às 5 horas da manhã se pode ver o movimento de vendedores e de compradores do mercado de pescado de Altona, além da venda de outros produtos comerciais. Um outro local muito antigo é a Avenida Palmaile que foi embelezada entre os anos de 1786 a 1825 com belos palácios neoclássicos, como o Altona klassizistisch.

    Com quase 1.200 anos de idade, Hamburgo apresenta um clima muito mais fresco do que o interior do continente europeu. Foi Carlos Magno quem resolveu transformar o velho refúgio saxão "Hammaburg" em um bastião contra os pagãos depois de 804.

    Adolfo III, o Conde de Schauenburg, foi quem conseguiu de Frederico Barbarosa em 1189 a Carta Magna, que garantia aos hamburgueses a liberdade alfandegária para o comércio e navegação, base do seu futuro progresso. Hamburgo é citada pela primeira vez em 1142 e em 1297 recebeu o status de cidade. Temos uma arraigada tradição de comércio e isenção de impostos - afirma Gerdau em sua conversa com o Pastor Tüsmann.

    E completa - Os hamburgueses sempre tiveram que lutar para conservar seus privilégios e a liberdade de comércio. Em 1568 o Conselho de Hamburgo teve que demonstrar ao Tribunal do Império a soberania da cidade até a desembocadura do Elba. Para a defesa contra a ação dos piratas utilizavam desde esta época do modelo de navio "Wappen von Hamburg". 
In Hoc Signo Vinces!
contador de visitas