Die Kolonie Santo Ângelo Zeitung
Copyright © 2000-2016 by Editora Werlang   •   All Rights reserved   •   www.werlang.de - www.coloniasantoangelo.com.br
Autor: William Werlang
Locução: Janice Hermes
O Jornal da Colônia Santo Ângelo
0079
< >
Archive.org    Blog    Twitter    CEW    Colônia Santo Ângelo    Linhagens    Links    Fale Conosco
Áudio 0079
Percorrendo a Picada Morro Pelado em 1874     (a atual Avenida Concórdia em Agudo-RS).

   
Terminada a conversa em torno da fabricação de pregos, João Gerdau decidiu que iriam visitar o local onde estava sendo construída a Fundição e a Igreja Evangélica.

    - Vamos até a casa do Pastor Tüsmann - avisa João a um de seus empregados e em seguida ordena:

    - Tragam a charrete e os cavalos, nós vamos sair imediatamente. Alwine trajava um elegante vestido, pois também iria ser apresentada ao Pastor Johannes Tüsmann.

    O casal monta no veiculo impulsionado por dois cavalos, tendo o jovem Gerdau como condutor. O caminho era ainda muito primitivo embora houvesse a constante preocupação por parte dos colonos em conservarem este pique.
    - Que pavor esta mata fechada e escura - dizia Alwine ao marido. Deixa de bobagem, retrucava João. Não vai demorar muito tempo para que trechos destas matas sejam derrubadas e transformadas em lavouras de fumo, milho, feijão, centeio, mandioca e nos banhados e baixadas será plantado o arroz.

    Ao chegarem próximo da casa comercial de Frederico Treptow, se depararam com um arroio que cortava o caminho e que implicava certa dificuldade em atravessar. Entretanto o habilidoso condutor soube atravessar a correnteza do mesmo com muita facilidade. Após a passagem do arroio, o casal desce para observar a beleza do local. João Gerdau então faz vários comentários:

    O esperto comerciante Frederico está construindo um moinho de grãos para descascar o arroz - dizia João Gerdau. Esta desviando por um canal a água para movimentar a roda do moinho. A barragem de pedra que ele construiu fica próximo daqui. A forte queda dagua formou um poço, onde os homens tomam banho no verão. Este arroio quando está cheio ninguém passa. Sei que o Barão von Kahlden solicitou uma verba para a Província, destinada a construção de um pontilhão de madeira sobre este arroio.

    - Eu tenho uma grande vantagem com a localização da minha Casa Comercial, dizia ele. No caminho do rio até aqui existem grandes atoleiros para as carroças, que em dias de chuva são impossíveis de passar. Analisei a situação e decidi que o meu depósito ficaria antes destes atoleiros e do arroio grande.

    - Fica fácil remeter a produção até o Porto Agudo e este até Cachoeira e Porto Alegre. Muitos colonos já desistiram de entregar a produção para o Treptow por causa das dificuldades de transporte e levam lá no meu depósito. Os meus maiores clientes procedem dos lotes coloniais da Picada do Rio.
In Hoc Signo Vinces!
contador de visitas