Die Kolonie Santo Ângelo Zeitung
Copyright © 2000-2016 by Editora Werlang   •   All Rights reserved   •   www.werlang.de - www.coloniasantoangelo.com.br
Autor: William Werlang
Locução: Janice Hermes
O Jornal da Colônia Santo Ângelo
0061
< >
Archive.org   Blog   CEW   Twitter   Colônia Santo Ângelo    Linhagens    Links    Fale Conosco
Áudio 0061
                  A Saga da Família Gerdau IV

    A fatídica carta fora entregue por um vizinho que viera do porto de Hamburgo, após quatro dias de trabalho no estaleiro da Companhia de Navegação do pai de Alwine, pois a empresa contratava diaristas. Como não encontrara ninguém em casa, havia colocado a mesma na caixa do correio. Seu pai e sua mãe chegariam mais tarde da “festa da colheita”, realizada nas dependências da casa paroquial.

    - Mamãe - diz Alwine -, tem uma novidade. O primo João Gerdau escreveu do Brasil, dizendo que está vindo para casar comigo.

    - Maravilha, - responde a mãe - exaltada com a notícia. O pai austero e severíssimo, rispidamente responde:

    - Gerdau para ser Gerdau precisa provar. Quero ver no papel o que ele tem para oferecer para a filha e para nós em termos de dinheiro e propriedades no Brasil. Primeiro, ele vai mostrar as escrituras da casa para minha filha morar e do negócio para sustentar a família e os meus futuros netos. Caso contrário não sai o casamento.
Arp Schnitger no interior da Igreja de St. Pankratius em Neuenfelde.
    A mãe lembra o marido da promessa ao irmão, pai de João Gerdau, do casamento: - Isto já foi lá por volta de 1869. Hoje tudo é diferente. Já se passaram cinco anos e não recebemos notícias concretas deste franguinho sonhador. Pelo que sei, o Brasil é um inferno tropical, negros, índios, macacos, serpentes... Quero ver, quero ver, completou.

    - Papai - leia a carta o Senhor mesmo. Ele pega com toda força da mão da filha e parece engolir as palavras escritas a pena, num alemão gótico perfeito. - Mas não aceito que ele deixe a sua cidadania hamburguesa - diz o pai exaltado e interrompendo a leitura. - João Gerdau terá que assinar na minha frente uma promessa por escrito, de que não irá se transformar num cidadão brasileiro. Se não fizer isso, não passarei a ele o segredo da família: a tomada das quatro posições em todas as atividades e a separação do maligno.

    No Antigo Testamento de nossos ancestrais, o número quarenta ou quatrocentos está sempre ligado a um período de sofrimento e quando termina este tempo, vem a benção. Isto acontece, pois fomos apartados de Deus por causa do pecado original entre Adão e Eva. É necessário que se pague o tempo de restauração do pecado que cada um de nós carrega. Jesus, que era Judeu, ficou quarenta dias sendo tentado, para depois ser crucificado. À vontade de Deus se cumpriu somente depois deste tempo. Nunca repararam que a cruz de cristo possui quatro pontas? E ele já venceu o mundo inteiro.

    - Pai, João Gerdau ainda não chegou. Vamos esperar e ouvir o que tem a nos dizer. - Hamburgo - confirma a mãe - cidade hanseática e um dos mais antigos portos do norte da Europa, possuem como norma cotidiana de conduta as quatro virtudes cidadãs: valor, piedade, concórdia e prudência. Nossa Igreja St. Pankratius em Neuenfelde possui quatro colunas de sustentação do órgão de Snitger, além das quatro esculturas bíblicas... .
In Hoc Signo Vinces!
contador de visitas