Die Kolonie Santo Ângelo Zeitung
Copyright © 2000-2016 by Editora Werlang   •   All Rights reserved   •   www.werlang.de - www.coloniasantoangelo.com.br
Autor: William Werlang
Locução: Janice Hermes
O Jornal da Colônia Santo Ângelo
Membros da Família Fiss da Colônia Santo Ângelo
0039
< >
Archive.org    Blog    Twitter    CEW    Colônia Santo Ângelo    Linhagens    Links    Fale Conosco
Áudio 0039
             O Barão von Kahlden (II)

    Em 1853 o Barão von Kahlden  foi designado pelo governo provincial como construtor de pontes na estrada geral entre São Gabriel e Cachoeira (do Sul). Durante o período de construção da ponte do Salso em Cachoeira, conheceu a menina Carolina Cândida Gomes da Silva. Era a ponte para posição de prestígio e de sair daquela situação humilhante. O casamento realizou-se em 1855 na igreja do Rosário em Porto Alegre com a presença de algumas autoridades de importância.

    Através do seu sogro conseguiu ser indicado em 1857 como diretor da nova Colônia Santo Ângelo, situada no município de Cachoeira, substituindo o polonês Florian von Zurowski, que não havia conseguido administrar a incipiente Colônia.  
    Quando Kahlden assumiu, os colonos pioneiros já haviam chegado. No dia 29 de novembro de 1857, Kahlden assumiu a direção da colônia. Encontrava-se ainda encarregado da construção de pontes quando recebeu a notícia de que deveria assumir o cargo de Diretor.

    Em Porto Alegre solicitou que seu amigo Luiz Zimmermann seguiu em companhia para a colônia. Luiz Zimmermann havia servido no exército com Kahlden e era homem de sua inteira confiança e grande capacidade de trabalho, segundo o próprio Kahlden.

    Tomadas todas as providências, Kahlden se dirige naquela data e chega na colônia nos primeiros dias de dezembro. Inteira-se imediatamente da situação e percebe que tudo havia por fazer.

    Segue por todo o interior da colônia e com um espírito muito vivo, observa, anota, toma providências e aquela selva começava imediatamente a criar vida própria.

    Observa que os imigrantes estavam completamente abandonados e que o antigo diretor não havia tomado nenhuma providência para o desenvolvimento da colônia, pois apenas tinha como preocupação verificar as condições de navegabilidade do rio Jacuí.   
In Hoc Signo Vinces!
contador de visitas